Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Defender o Quadrado

Nesta casa serve-se tudo a quente. As cadeiras são de pau e têm as costas direitas. Há sempre pão a cozer e o conforto da desarrumação. A porta está sempre aberta... mas fecha-se rapidamente aos vermes que infestam alguns cantos do quadrado. Sejam

Amigo é casa

Hermínio Bello de Carvalho & Capiba

Zélia Duncan & Nelson Faria

 

Amigo é feito casa, que se faz aos poucos
e com paciência, pra durar pra sempre.
Mas é preciso ter muito tijolo e terra,
preparar reboco, construir tramelas.
Usar a sapiência de um João-de-barro
que constrói com arte a sua residência.
Ah, que o alicerce seja muito resistente
que às chuvas e aos ventos possa então a proteger.

E há que fincar muito jequitibá
e vigas de jatobá,
e adubar o jardim e plantar muita flor, toiceiras de resedás...
Não falte um caramanchão pros tempos idos lembrar,
que os cabelos brancos vão surgindo
que nem mato na roceira
que mal dá pra capinar...
E há que ver os pés de manacá cheios de sabiás,
sabendo que os rouxinóis vão trazer arrebóis.
Choro de imaginar!

Pra festa da cumieira não faltem os violões!
Muito milho ardendo na fogueira
e quentão farto em gengibre,
aquecendo os corações.

A casa é amizade construída aos poucos
e que a gente quer com beira e tribeira,
com gelosia feita de matéria rara
e altas platibandas, com portão bem largo
que é pra se entrar sorrindo
nas horas incertas,
sem fazer alarde, sem causar transtorno.
Amigo que é amigo, quando quer estar presente
faz-se quase transparente, sem deixar-se perceber.

Amigo é pra ficar. Se chegar, se achegar,
se abraçar, se beijar, se louvar, bendizer...
Amigo a gente acolhe, recolhe e agasalha
e oferece lugar pra dormir e comer.
Amigo que é amigo não puxa tapete,
oferece pra gente o melhor que tem e o que nem tem.
Quando não tem, finge que tem,
faz o que pode. E o seu coração... reparte que nem pão.

25 Abril 2020

Zeca Afonso & Manuel de Oliveira

 

Venham mais cinco, duma assentada que eu pago já

Do branco ou tinto, se o velho estica eu fico por cá

Se tem má pinta, dá-lhe um apito e põe-no a andar

De espada à cinta, já crê que é rei d'aquém e além-mar

 

Não me obriguem a vir para a rua gritar

Que é já tempo d'embalar a trouxa e zarpar

 

Tiriririri buririririri, Tiriririri paraburibaie, Tiiiiiiiiiiiiii paraburibaie ...

 

A gente ajuda, havemos de ser mais eu bem sei

Mas há quem queira, deitar abaixo o que eu levantei

A bucha é dura, mais dura é a razão que a sustem

Só nesta rusga, não há lugar prós filhos da mãe

 

Não me obriguem a vir para a rua gritar

Que é já tempo d' embalar a trouxa e zarpar

 

Bem me diziam, bem me avisavam como era a lei

Na minha terra, quem trepa no coqueiro é o rei

A bucha é dura, mais dura é a razão que a sustem

Só nesta rusga, não há lugar prós filhos da mãe

 

Não me obriguem a vir para a rua gritar

Que é já tempo d'embalar a trouxa e zarpar

 

Samba da utopia

Jonathan Silva

 

Se o mundo ficar pesado

Eu vou pedir emprestado

A palavra POESIA

 

Se o mundo emburrecer

Eu vou rezar pra chover

Palavra SABEDORIA

 

Se o mundo andar pra trás

Vou escrever num cartaz

A palavra REBELDIA

 

Se a gente desanimar

Eu vou colher no pomar

A palavra TEIMOSIA

 

Se acontecer afinal

De entrar em nosso quintal

A palavra tirania

 

Pegue o tambor e o ganza

Vamos pra rua gritar

A palavra UTOPIA

 

The best is yet to come

Ella Fitzgerald

 

Frank Sinatra

 

Out of the tree of life I just picked me a plum

You came along and everything's startin' to hum

Still, it's a real good bet, the best is yet to come

Best is yet to come and babe, won't that be fine?

You think you've seen the sun, but you ain't seen it shine

Wait till the warm-up's underway

Wait till our lips have met

And wait till you see that sunshine day

You ain't seen nothin' yet

The best is yet to come and babe, won't it be fine?

Best is yet to come, come the day you're mine

Come the day you're mine

I'm gonna teach you to fly

We've only tasted the wine

We're gonna drain the cup dry

Wait till your charms are right for these arms to surround

You think you've flown before, but baby, you ain't left the ground

Wait till you're locked in my embrace

Wait till I draw you near

Wait till you see that sunshine place

Ain't nothin' like it here

The best is yet to come and babe, won't it be fine?

The best is yet to come, come the day you're mine

Come the day you're mine

And you're gonna be mine

 

Ir ao Teatro

mascara-mortuaria-de-beethoven.jpg

Máscara mortuária de Beethoven

 

Sempre acabo a dizer o mesmo. Não percam a peça Kiki Van Beethoven, não deixem para os últimos dias. Façam um favor a vós mesmos e vão ouvir o monólogo de Kiki, brilhantemente interpretado por Teresa Faria, à melhor sala de espectáculos do Poço do Bispo.

 

O autor da peça é Eric-Emmanuel Schmitt, a encenação de Natália Luísa. Sóbrio, simples, na luz, nos objectos em palco, no ambiente, na música que se ouve. Do riso às lágrimas, o encontro connosco, que nos perdemos.

 

E Beethoven.

 

Lost On You

LP

Lost On You

 

When you get older, plainer, saner

When you remember all the danger we came from

Burning like embers, falling, tender

Long before the days of no surrender

Years ago and well you know

 

Smoke 'em if you got 'em

'Cause it's going down

All I ever wanted was you I'll never get to heaven

'Cause I don't know how

 

Let's raise a glass or two

To all the things

I've lost on you

Oh oh

Tell me are they lost on you?

Oh oh

Just that you could cut me loose

Oh oh

After everything I've lost on you

Is that lost on you?

Oh oh

Is that lost on you?

Oh oh

Baby, is that lost on you?

Is that lost on you?

 

Wishing I could see the machinations

Understand the toil of expectations in your mind

Hold me like you never lost your patience

Tell me that you love me more than hate me all the time

And you're still mine

 

So smoke 'em if you've got 'em

'Cause it's going down

All I ever wanted was you

Let's take a drink of heaven

This can turn around

 

Let's raise a glass or two

To all the things

I've lost on you

Oh oh

Tell me are they lost on you?

Oh oh

Just that you could cut me loose

Oh oh

After everything I've lost on you

Is that lost on you?

Oh oh

Is that lost on you?

Oh oh, oh oh

Bab, is that lost on you?

Is that lost on you?

 

Let's raise a glass or two

To all the things

I've lost on you

Oh oh

Tell me are they lost on you?

Oh oh

Just that you cold cut me loose

Oh oh

After everything

I've lost on you

Is that lost on you?

Is that lost on you?

 

Sem saber

Vasco da Graça Moura & Carlos Paredes

Mísia

 

Sem saber

Porque te amei assim

Porque chorei por mim

 

Sem saber

Com que punhais tu feres

Magoas mais e queres

 

Sem saber

Onde é que estás, nem como

O que te traz sem rumo

 

Sem saber

Se tanto amor devora

Mais do que a dor que chora

 

Sem saber

Se vais mudar, se então

Podes voltar ou não

 

Sem saber

Se em mim mudou a vida

Se em ti ficou perdida

 

Sem saber

Da solidão depois

No coração dos dois

 

Sem saber

Quanto me dóis na voz

Ou se há heróis em nós