Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Defender o Quadrado

Nesta casa serve-se tudo a quente. As cadeiras são de pau e têm as costas direitas. Há sempre pão a cozer e o conforto da desarrumação. A porta está sempre aberta... mas fecha-se rapidamente aos vermes que infestam alguns cantos do quadrado. Sejam

Recantiga

Miguel Araújo 

 

E era as folhas espalhadas, muito recalcadas do correr
Do ano
A recolherem uma a uma por entre a caruma de volta
Ao ramo

E era à noite a trovoada que encheu na enxurrada aquela
Poça morta
De repente, em ricochete, a refazer-se em sete nuvens
Gota a gota

Era de repente o rio, num só rodopio a subir o monte
A correr contra a corrente assim de trás para a frente
A voltar à fonte

Um monte de cartas espalhadas des-desmoronando-se
Todo em castelo
E era linha duma vida sendo recolhida de volta ao novelo

Era aquelas coisas tontas, as afrontas que eu digo e que
Me arrependo
A voltarem para mim como se assim tivessem remendo

E era eu, um passarinho caído no ninho à espera do fim
E eras tu, até que enfim, a voltar para mim

Meu amigo está longe

Amália Rodrigues

 

Gisela João

José Carlos Ary Dos Santos & Alain Oulman

 

 

Nem um poema, nem um verso, nem um canto,

Tudo raso de ausência, tudo liso de espanto

Amiga, noiva, mãe, irmã, amante,

Meu amigo está longe

E a distância é tão grande.

 

Nem um som, nem um grito, nem um ai

Tudo calado, todos sem mãe nem pai

Amiga noiva mãe irmã amante,

Meu amigo está longe

E a tristeza é tão grande.

 

Ai esta mágoa, ai este pranto, ai esta dor

Dor do amor sozinho, o amor maior

Amiga noiva mãe irmã amante,

Meu amigo está longe

E a saudade é tão grande.

Apesar de você

 Chico Buarque

 

 

 

Hoje você é quem manda

Falou, tá falado

Não tem discussão, não

A minha gente hoje anda

Falando de lado

E olhando pro chão, viu

 

Você que inventou esse estado

E inventou de inventar

Toda a escuridão

Você que inventou o pecado

Esqueceu-se de inventar

O perdão

 

Apesar de você

Amanhã há de ser

Outro dia

Eu pergunto a você

Onde vai se esconder

Da enorme euforia

Como vai proibir

Quando o galo insistir

Em cantar

Água nova brotando

E a gente se amando

Sem parar

 

Quando chegar o momento

Esse meu sofrimento

Vou cobrar com juros, juro

Todo esse amor reprimido

Esse grito contido

Este samba no escuro

 

Você que inventou a tristeza

Ora, tenha a fineza

De desinventar

Você vai pagar e é dobrado

Cada lágrima rolada

Nesse meu penar

 

Apesar de você

Amanhã há de ser

Outro dia

Inda pago pra ver

O jardim florescer

Qual você não queria

Você vai se amargar

Vendo o dia raiar

Sem lhe pedir licença

E eu vou morrer de rir

Que esse dia há de vir

Antes do que você pensa

 

Apesar de você

Amanhã há de ser

Outro dia

Você vai ter que ver

A manhã renascer

E esbanjar poesia

Como vai se explicar

Vendo o céu clarear

De repente, impunemente

Como vai abafar

Nosso coro a cantar

Na sua frente

 

Apesar de você

Amanhã há de ser

Outro dia

Você vai se dar mal

Etc. e tal

Lá lá lá lá laiá

Prece

 Amália Rodrigues

 

Catarina Wallenstein

Pedro Homem de Mello & Alain Oulman

 

Talvez que eu morra na praia

Cercada em pérfido banho

Por toda a espuma da praia

Como um pastor que desmaia

No meio do seu rebanho.

 

Talvez que eu morra na rua

E dê por mim de repente

Em noite fria e sem luar

E mando as pedras da rua

Pisadas por toda a gente.

 

Talvez que eu morra entre grades

No meio de uma prisão

Porque o mundo além das grades

Venha esquecer as saudades

Que roem meu coração.

 

Talvez que eu morra de noite

Onde a morte é natural

As mãos em cruz sobre o peito

Das mãos de Deus tudo aceito

Mas que eu morra em Portugal.

Guacamole

guacamole.jpg

 

Sempre achei a palavra guacamole muito divertida – parece um coaxar de uma rã qualquer, até é feito com abacate que é tão verde como esse batráquio. Além disso dá-me a sensação de que não se pode pronunciar guacamole sem gaguejar.

 

Vem tudo isto a propósito da sacada de abacates que, de vez em quando, alguém que se preocupa comigo e me mima muito, me dá para ver se me transformo numa sílfide saudável, o que é bastante difícil, se não mesmo impossível. Mas a esperança é sempre a última a morrer. Hoje dei conta de que os abacates tinham amadurecido e resolvi arriscar um guacamole. Depois de pesquisar receitas, decidi-me a fazer assim:

 

Peguei em 2 abacates e esmaguei-os com um garfo, dentro de uma tigela de vidro, regando com um pouco de sumo de lima, para não oxidarem; cortei 2 tomates médios, nem muito verdes nem muito maduros, descasquei-os, retirei as sementes e cortei-os em pedacinhos pequeninos. Fiz o mesmo com meia cebola (era grande) e esmaguei um enorme dente de alho. Ainda cortei grosseiramente um molhinho de coentros, misturei tudo com a pasta de abacate, reguei com mais um pouco de sumo (o equivalente a meia lima) e temperei com sal (grosso) e um pouco de pimenta. No fim resolvi usar a varinha mágica para ficar tudo um puré.

 

Apesar dos olhos duvidosos com que os comensais cá de casa olharam para mim e para o meu cozinhado, comeram-no bastante bem, depois de o provarem, a medo. Foi um êxito, portanto.

 

E já agora, é de coisas simples que precisamos. Para ouvir uma cantora mexicana já desaparecida - Chavela Vargas - cantando Las simples cosas (penso que a canção é originária da Argentina).

 

 

 

Uno se despide

Insensiblemente de pequeñas cosas

Lo mismo que un árbol

Que en tiempo de otoño se queda sin hojas

Al fin la tristeza es la muerte lenta de las simples cosas

Esas cosas simples que quedan doliendo en el corazón

Uno vuelve siempre a los viejos sitios donde amo la vida

Y entonces comprende como están de ausentes las cosas queridas

Por eso muchacha no partas ahora soñando el regreso

Que el amor es simple y a las cosas simples las devora el tiempo

Demorate a ti, en la luz solar de este medio día

Donde encontraras con el pan al sol la mesa tendida

Por eso muchacha no partas ahora soñando el regreso

Que el amor es simple y a las cosas simples las devora el tiempo

Uno vuelve siempre a los viejos sitios donde amo la vida

Don't leave me this way

The Communards

 

Harold Melvin The Blue Notes

 

Thelma Houston

 

 

Don't leave me this way

I can't survive, I can't stay alive

Without your love, no baby

Don't leave me this way

I can't exist, I will surely miss your tender kiss

So don't leave me this way

 

Oh, baby, my heart is full of love and desire for you

So come on down and do what you've got to do

You started this fire down in my soul

Now can't you see it's burning out of control

So come on down and satisfy the need in me

'Cause only your good loving can set me free

 

Don't leave me this way

I don't understand how I'm at your command

So baby please, so don't you leave me this way

 

Oh, baby, my heart is full of love and desire for you

So come on down and do what you've got to do

You started this fire down in my soul

Now can't you see it's burning out of control

So come on down and satisfy the need in me

'Cause only your good loving can set me free

 

(Come satisfy me, come satisfy me

Come satisfy me, come satisfy me

Come satisfy me, come satisfy me)

 

Don't you leave me this way

Don't leave me this way,

Ooh, baby, I can't exist, I will surely miss your tender kiss

So don't leave me this way

Oh baby, my heart is full of love and desire for you

So come on down and do what you've got to do

You started this fire down in my soul

Now can't you see it's burning out of control

So come on down and satisfy the need in me

'Cause only your good loving can set me free

 

(Set me free, set me free, set me free, set me free, set me free

Set me free, set me free, oh baby)

 

Don't you know by now, don't you know by now

Don't you know by now, don't you know by now

I'm losing control, I'm losing control

Ausencia

Cesária Évora

Teofilo Chantre & Goran Bregović

 

 

Si asa um tivesse

pa voa na esse distancia

Si um gazela um fosse

pa corrê sem nem um cansera

 

Anton ja na bo seio

um tava ba manchê

e nunca mas ausencia

ta ser nôs lema

 

Ma sô na pensamento

um ta viajà sem medo

nha liberdade um tê'l

e sô na nha sonho

 

Na nha sonho miéforte

um tem bô proteção

um tem sô bô carinho

e bô sorriso

 

Ai solidäo tô'me

sima sol sozim na céu

sô ta brilhà ma ta cegà

Na sê clarão

sem sabe pa onde lumia

pa ondê bai

Ai solidão é um sina

O Jardim

Para mim uma boa canção e a melhor do Festival.

 

Cláudia Pascoal & Isaura

 

 

Eu nunca te quis
Menos do que tudo
Sempre, meu amor

Se no céu também és feliz
Leva-me eu cuido
Sempre, ao teu redor

São as flores o meu lugar
Agora que não estás
Rego eu o teu jardim

São as flores o meu lugar
Agora que não estás
Rego eu o teu jardim

Eu já prometi
Que um dia mudo
Ou tento, ser maior

Se do céu também és feliz
Leva-me eu juro
Sempre, pelo teu valor

São as flores o meu lugar
Agora que não estás
Rego eu o teu jardim

São as flores o meu lugar
Agora que não estás
Rego eu o teu jardim

Agora que não estás, rego eu o teu jardim
Agora que não estás, rego eu o teu jardim
Agora que não estás
Agora que não estás, rego eu o teu jardim

 

Qu'est ce qu'on attend pour être heureux

Paul Misraki & André Hornez

Avalon Jazz Band

 

 

 

Qu'est-c' qu'on attend pour être heureux?

Qu'est-c' qu'on attend pour fair' la fête?

Y a des violettes

Tant qu'on en veut

Y a des raisins, des roug's, des blancs, des bleus,

Les papillons s'en vont par deux

Et le mill'-pattes met ses chaussettes,

Les alouettes

S'font des aveux,

Qu'est-c' qu'on attend

Qu'est-c' qu'on attend

Qu'est-c' qu'on attend pour être heureux?

 

Quand le bonheur passe près de vous,

Il faut savoir en profiter

Quand pour soi, on a tous les atouts,

On n'a pas le droit d'hésiter

Cueillons tout's les roses du chemin,

Pourquoi tout remettr' à demain

Qu'est-c' qu'on attend pour être heureux?

 

Qu'est-c' qu'on attend pour être heureux?

Qu'est-c' qu'on attend pour fair' la fête?

Les maisonnettes

Ouvrent les yeux,

Et la radio chant' un p'tit air radieux,

Le ciel a mis son complet bleu

Et le rosier met sa rosette

C'est notre fête

Puisqu'on est deux.

Qu'est-c' qu'on attend?

Oh dis!

Qu'est-c' qu'on attend?

Oh voui!

Qu'est-c' qu'on attend pour être heureux?

 

Qu'est-c' qu'on attend pour être heureux?

Qu'est-c' qu'on attend pour perdr' la tête?

La route est prête

Le ciel est bleu

Y a des chansons dans le piano à queue...

Il y a d'l'espoir dans tous les yeux

Y a des sourir's dans chaqu' fossette

L'amour nous guette

C'est merveilleux

Qu'est-c' qu'on attend

Qu'est-c' qu'on attend

Qu'est-c' qu'on attend pour être heureux?