Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Defender o Quadrado

Nesta casa serve-se tudo a quente. As cadeiras são de pau e têm as costas direitas. Há sempre pão a cozer e o conforto da desarrumação. A porta está sempre aberta... mas fecha-se rapidamente aos vermes que infestam alguns cantos do quadrado. Sejam

O fado dos confinados

raul-pina-vicente-fadistas.jpg

Raul Pina Vicente

 

Quem diria que este fado

Seria algum dia escrito

Com o país confinado

Num reduto tão restrito

 

À janela como o gato

Estamos ao sol a crestar

E à noite sem recato

À lua vamos cantar

 

Vozes altas afinadas

Dedos soltos e trementes

As palavras libertadas

No louvor aos mais valentes

 

E o fado prisioneiro

Solta-se enquanto chora

Que o fado é sempre o primeiro

A voar pela noite fora

 

O circuito dos confinados

circuito.jpg

 

Vou do quarto para o banho

e do banho prá cozinha

dou um salto até à sala

onde aceno à vizinha.

 

A seguir a esta volta

esta grande caminhada

vou deitar-me ao trabalho

numa sesta abençoada.

 

É obrigatório estar

sempre a par das novidades

e ouvir com atenção

o falar das Entidades

 

Cada um na sua toca

solitário no seu ninho

mas luzindo com o olhar

transbordante de carinho.

 

Espelho meu espelho meu - há alguém mais desgrenhado do que eu?

mafalda desgrenhada.jpg

 

Fecho a porta nego o vírus

escondo-me com afinco

sabe lá se estou ou não

faço de morta e minto

 

Penteio-me a preceito

com pente escova e desvelo

palha d’aço esbranquiçada

arremedo de cabelo.

 

Da sua cor não me lembro

se bordeaux se acastanhado

a última vez que o vi

era louro envergonhado.

 

Agora tem listas brancas

e amarelas desbotadas

cabelo crespo e singelo

de pontas arrepiadas.

 

Quando pudermos sair

desta toca de coelho

o melhor é nem olharmos

para o pobre do espelho!

 

Rimas de quebrar vírus

SARS-CoV-2.jpg

 

Lava a cara lava a boca

usa a água e o sabão

lava a mão e lava a outra

com desvelo e atenção.

 

Entra em casa sem receio

limpa bem o puxador

abre a porta e depressa

tira a roupa do exterior.

 

Não te encostes a ninguém

os abraços vão esperar

cobre a boca e o nariz

se tiveres que espirrar.

 

Não te assustes não te alarmes

exercita o coração

estica encolhe encolhe e estica

até à próxima sessão.

 

PAN

vicios.png

 

Como durante a semana não tenho tempo, dedico o fim de semana a ouvir programas de debate, entrevistas, etc. Hoje ouvi, entre outros, os debates do André Silva com o Rui Rio e o António Costas.

Quando acabaram senti uma (quase) irresistível vontade de fumar imensos cigarros, comer horrores de carne de bovinos poluentes, beber à fartazana e comprar vários carros a gasóleo.

 

Como dizia a minha avozinha: o que é demais é moléstia.

O apodrecimento (2)

O que se está a passar na Amazónia é assustador. Mais assustador é ter alguém como Bolsonaro, um dos discípulos dilectos de Trump, à frente dos destinos do Brasil (e dos EUA).

Devastador é a onda de inacreditável boçalidade e incompetência, a mentalidade terrorista medieval que assola o mundo. Tudo é global e a estupidez dominante é globalmente arrasadora e destrutiva.