Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O luto da Geringonça

por Sofia Loureiro dos Santos, em 07.11.21

manuel alegre.JPG

JN

 

Gostei muito de ouvir a entrevista com Manuel Alegre, na TSF.

Revejo-me em muito do que diz. Mesmo em muito.

O PS não pode perder a sua marca e não pode aceitar ser tratado como um partido inimigo e de direita pelos seus ex-companheiros.

É completamente estapafúrdio ouvir Catarina Martins dizer que foi António Costa, em conluio com Marcelo Rebelo de Sousa, a provocar o chumbo do OE para que houvesse novas eleições. Tal como é absurdo da parte de Jerónimo de Sousa dizer que não queriam eleições.

A solução nunca poderia ser outra que não a clarificação política com eleições.

Deixem-se de desculpas tontas. A responsabilidade tem que ser assumida. Se as eleições são inoportunas, deveriam ter pensado nisso quando decidiram votar contra o OE.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:42


3 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 07.11.2021 às 21:18

As justificações do BE e do PC para se livraram de responsabilidades, imputando as suas culpas ao PS, são de uma desonestidade gritante. Para além de considerarem que os seus eleitorados não têm cabeça para pensar, é também um tiro nos pés porque se estão a descredibilizar.
E eu que os escolhia para votar, que sempre confiei neles ... custa-me muito ver este triste espectáculo de banha da cobra.


Sem imagem de perfil

De Jaime Santos a 07.11.2021 às 22:24

Não gosto nada desta tentativa de transformarem António Costa num calculista anti-patriota que provoca uma crise política no meio de uma crise econômica, sanitária e social, só para ir para eleições de resultado incerto (basta que a situação sanitária piore ou o preço da energia e dos combustíveis suba muito para que o PS perca toda a vantagem que tem nas sondagens). Costa teria também que ser um néscio para alinhar nisso...

Tão pouco me parece que Sousa ou Martins (mais os seus respetivos Partidos) tenham a priori decidido que iam votar contra o OE.

O PCP, em particular, depois de mais uma derrota eleitoral, deve ter decidido endurecer as condições de viabilização (João Oliveira e António Filipe antes do Verão pareciam ter posições muito mais flexíveis que o seu Partido agora), considerando que precisava de mais ganhos de causa para mostrar ao seu eleitorado, sobretudo depois da deserção do BE no ano passado. Mas isso não quer dizer que a sua posição inicial fosse completamente intransigente.

A divisão ideológica entre o PS e a restante Esquerda é profunda e haveria de, mais tarde ou mais cedo, ditar o fim da Geringonça (só foi pena que tenha sido neste contexto).

E se o resultado final prejudica todos, a começar pelo PS, assim mostram as sondagens, aposto que estas desculpas de mau pagador, como lhes chama Alegre, não farão o BE ou o PCP-PEV ganhar um voto. As pessoas detestam queixinhas, quezílias e ressentimentos...

Assumam as vossas responsabilidades e as razões pelas quais decidiram votar contra (perfeitamente legítimas) privando o vosso eleitorado de ganhos de causa porventura insuficientes mas ainda assim melhores do que o presente resultado, ou seja, zero...
Sem imagem de perfil

De s o s a 09.11.2021 às 21:51

tem todo o direito a esta narrativa clubistica.

O que intriga é fazer dos tais ex-companheiros uns totos imprevidentes, que nao pensam.
Sobra assim que a unica que pensa é justamente a Sofia.

Para o leitor (es) seria uma dádiva se a nfrrativa fosse nova, original. Quanto a isençao, disse.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2006
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2005
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D

Maria Sofia Magalhães

prosas biblicas 1.jpg

À venda na livraria Ler Devagar



caminho dos ossos.jpg

 

ciclo da pedra.jpg

 À venda na Edita-me e na Wook

 

da sombra que somos.jpg

À venda na Derva Editores e na Wook

 

a luz que se esconde.jpg