Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Dos recorrentes apelos aos governos de salvação nacional

por Sofia Loureiro dos Santos, em 06.02.21

A Nação precisa de ser salva ciclicamente. Daí, principalmente quando a direita não se constrói como alternativa, vem o Corifeu do costume apelar para um governo de iniciativa presidencial ou de salvação nacional - quem mais se não o Presidente promover a salvação da Nação?

Desde 18 de Março de 2020 que estamos, quase sem intervalos, em estado de emergência. Como é hábito, todos estes estados excepcionais resultam da necessidade de proteger os cidadãos de ameaças muito graves. Por isso aceitam-se limitações às liberdades e garantias, pois a segurança é um bem que desejamos acima de qualquer outro.

Com o país mergulhado em medo, crise pandémica e económica, com o desemprego, as desigualdades e a sensação de injustiça e de revolta a aumentarem, insufladas por uma comunicação abutre, incompetente e suicidária, nada melhor para as ambições de qualquer ditador de pacotilha a criação de casos e crises que apenas se resolvem com mão dura e abrangente, na procura de unanimidades e soluções contrárias ao espírito democrático.

Tudo serve para instalar a insegurança e o caos - a exploração ad nauseum dos números da pandemia, a insistência na balbúrdia do plano de vacinação, as horas frenéticas a decretar a os preconceitos ideológicos do governo, assim como a implícita ou explícita culpabilização dos responsáveis políticos pelas misérias morais de quem atropela os mais elementares valores de solidariedade e da decência.

Perante tudo isto, nada melhor que, fazendo tábua rasa de todo o nosso sistema político, apelar-se ao Presidente para desfazer (ou não) o Parlamento e decretar um Governo de Salvação Nacional.

Realmente precisamos de nos salvar de tais salvadores. Se houver crise de governo e demissão do mesmo, que tal ir a eleições? Não é assim que, em democracia, se resolvem as crises políticas? Salazar esteve tanto tempo no poder porque há muita gente que, mal assomam as nuvens no horizonte, vem clamar por um salvador, em forma de Presidente ou governo de bloco central, a amálgama dos interesses e do centrão que desfaz o confronto de ideias e de soluções.

Tenho Marcelo Rebelo de Sousa na conta de um democrata. Não acredito mesmo que lhe passe pela cabeça uma aventura destas. Felizmente. Foi eleito para cumprir e fazer cumprir a Constituição e pugnar pelo regular funcionamento das Instituições Democráticas, não para as subverter.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:51


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D

Maria Sofia Magalhães

prosas biblicas 1.jpg

À venda na livraria Ler Devagar



caminho dos ossos.jpg

 

ciclo da pedra.jpg

 À venda na Edita-me e na Wook

 

da sombra que somos.jpg

À venda na Derva Editores e na Wook

 

a luz que se esconde.jpg