Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Descrédito a expensas próprias - actualização

por Sofia Loureiro dos Santos, em 23.09.18

Ao contrário do que afirmei ainda agora, o Expresso pediu desculpa aos leitores.

 

expresso 22092019.JPG

As minhas desculpas ao Expresso. Procurei pela internet, mas não encontrei. Cheguei lá através do facebook.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:34


4 comentários

Imagem de perfil

De dixit a 23.09.2018 às 20:05

O Expresso expressou-se expressivamente, porque pode e tem muito "papel".
Sem imagem de perfil

De A.Teixeira a 30.09.2018 às 00:32

O “like” que coloquei na publicação do facebook deste mesmo "poste", dedica-se à atitude da autora de se retractar do erro – factual – de ter escrito que o Expresso não apresentara desculpas pelo que fizera, quando afinal o fez.
Mas, porque assim também pode ser interpretado, o meu “like” não se estende às desculpas do Expresso, a meu ver insuficientes e, por isso, não aceites.
O Expresso confessa que errou – mas isso está à vista de todos, e eu não leio um jornal para lá ler o óbvio. O Expresso explica que foi induzido em erro – mas disso também quase todos desconfiávamos, considerando que a alternativa seria que no Expresso tivesse inventado a notícia, e eu não compro jornais para corroborar suspeitas evidentes. O que teria tido valor jornalístico teria sido o Expresso ter transformado em notícia os detalhes do processo através do qual o jornal foi enganado. Que me desculpem, mas admitir que, e passo a citar, «Neste caso, foi averiguado internamente o processo editorial que levou à publicação da notícia, de modo a detectar as falhas e a garantir a robustez dos mecanismos de controlo editorial» é admitir o óbvio, explicar nada quanto a factos e assumir uma atitude “muito positiva” para o futuro.
Mas é um “vazio palavroso” que, ao tratá-los como uns tontos, não reconstitui qualquer relação de confiança com os leitores que, passe o plebeísmo, tenham “dois dedos de testa”.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 15.10.2018 às 19:50

Umqpa vergonhosa tentativa de manipulação da opinião pública e condicionamento dos decisores políticos a pretensa falha das fontes do “Expresso”. Há semanas (senão meses) que o Expresso dirigido pelo Ricardo Costa se multiplicava em pareceres, opiniões e sugestões no sentido da recondução de Sra Joana Vidal. A notícia de 1a página era apenas uma última e derradeira tentativa de impor a narrativa da direita sobre o justicialismo redentor do ministério público
Já agora é boa ideia perguntar ao Expresso - o que pensam sobre desinformação e Fake News?
Imagem de perfil

De Sofia Loureiro dos Santos a 15.10.2018 às 21:24

O Director do Expresso é Pedro Santos Guerreiro, desde 2016.
De resto concordo consigo.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D

Maria Sofia Magalhães

prosas biblicas 1.jpg

À venda na livraria Ler Devagar



caminho dos ossos.jpg

 

ciclo da pedra.jpg

 À venda na Edita-me e na Wook

 

da sombra que somos.jpg

À venda na Derva Editores e na Wook

 

a luz que se esconde.jpg