Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Da prata das palavras e do ouro do silêncio

por Sofia Loureiro dos Santos, em 22.11.14

Acordei para a notícia da detenção de José Sócrates. Não percebi se tinha fugido à justiça ou se estava a fugir, se se tinha negado a prestar declarações, se tinha tentado matar ou morto alguém. Apenas que, com a SIC a filmar, tinha sido detido no aeroporto no âmbito de uma investigação que está em segredo de justiça. Como é habitual este segredo é apenas para gerir melhor o circo mediático e os alvos que vão sendo atingidos.

 

Tudo isto é assustador: se José Sócrates for considerado culpado dos crimes de fraude fiscal, branqueamento de capitais e corrupção, é mais um golpe na nossa confiança nos representantes políticos, mais uma machadada na imagem dos servidores públicos, mais uma acha para a fogueira do populismo e do advento do moralismo totalitário dos movimentos que estão a crescer por todo o lado; se esta investigação acabar como a da Casa Pia e semelhantes, é mais uma demonstração da judicialização da política e do poder absolutista que vão tendo os Juízes, modelando a opinião pública através destas investigações que não condenam mas, sobretudo, não absolvem.

 

Vivemos em tempos em que não nos sentimos protegidos por este poder judicial - e isso é terrível. Por muito que se repita que até prova em contrário as pessoas são inocentes, é impossível apagar as suspeitas. E é por isso e para isso que estes circos se montam.

 

Continuo a pensar que José Sócrates foi um dos melhores Primeiros-ministros que tivemos na era democrática. Quero muito acreditar nas pessoas, e preciso muito de acreditar nas Instituições. Cada vez mais estas duas crenças são mutuamente exclusivas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:43


18 comentários

Sem imagem de perfil

De ana paula a 22.11.2014 às 17:53

Concordo consigo.
Imagem de perfil

De Sofia Loureiro dos Santos a 23.11.2014 às 14:26

Obrigada, Ana Paula.
Imagem de perfil

De sivispacem a 23.11.2014 às 00:16

Não só concordo,como me tenho,modestamente embora,empenhado na denúncia da tentativa de implantar uma "república de juízes".Lembro JUVENAL:"Custos custodiet nos;quis custodiet ipsos custodes?...(mais correntemente,"Quem guarda os guardas?...") O anterior chefe do cripto-sindicato de juízes,entremeando algumas falhas semânticas,interpelado sobre a sua "associação sindical"disse que existe,"...porque a Constituição o não proíbe..."O que,para lá de uma certa boçalidade lexical,É MENTIRA!...Remetendo para a Convenção Europeia dos Direitos do Homem,não só juízes e procuradores como outros FUNCIONÁRIOS podem ver restringidos direitos...COMO O SINDICAL!...Pese,embora,o "lobby"europeu que municia de argumentário estas cripto-organizações...
Igualmente tenho defendido que os juízes deviam emergir do Ministério Público ou da Universidade,e terem,pelo menos,40 anos...O que até,"en passant"evitaria as PALHAÇADAS a que se assiste,de vez em quando,quando uma juíza fica grávida e o julgamento pode ter de voltar ao princípio se estiver interrompido 30 dias...Cumprimentos,"kyaskyas"
Imagem de perfil

De Sofia Loureiro dos Santos a 23.11.2014 às 12:19

Obrigada. De facto "Quem guarda os guardas?" é uma boa pergunta.
Sem imagem de perfil

De Francisco Clamote a 23.11.2014 às 00:58

Subscrevo, Sofia.
Imagem de perfil

De Sofia Loureiro dos Santos a 23.11.2014 às 12:26

Obrigada, Francisco.
Imagem de perfil

De Irene Pimentel a 23.11.2014 às 08:45

Muito bem Sofia. Abraço
Sem imagem de perfil

De Joao a 23.11.2014 às 09:10

Circo mediático ? também vossa Exa. faz parte dele ao falar do que não sabe, lançando no ar a ideia que o sistema judiciário pessoa de mal que persegue e come criancinhas inocentes. Cresça , acorde para a realidade e pense pela sua cabeça , deixando de reproduzir pensamentos de outros que não são mais do que ruído para tentar esconder a realidade. Informe-se para depois emitir opinião sustentada e não banalidades, conversa de esplanada.

Cumprimentos
Imagem de perfil

De Sofia Loureiro dos Santos a 23.11.2014 às 12:26

Pelo seu comentário depreendo que Vossa Excelência saiba do que fala, ao contrário de mim que, para além de não pensar com a minha cabeça, devo ter "estado a trabalhar para o Sócrates" recebendo algum "tacho" "ou vários subsídios", como alguém menos educado que Vossa Excelência (por coincidência também chamado João) me comentou ontem (comentário esse apagado por mim).
Quanto a crescer, infelizmente só consigo mesmo em peso. Talvez por isso as minhas banalidades não superem as suas.
Sem imagem de perfil

De C. Pinto a 23.11.2014 às 13:22

Estou de acordo com o que foi dito. Prende-se um homem como se fosse um bandido, um terrorista..., só para averiguações, com o espalhafato que foi, no momento que foi! Fico triste se ele for culpado e se o é deve ser castigado. Mas e então o caso dos submarinos, o BPN (PR envolvido), fuga ao fisco do atual PM, BES?... É esta a justiça? Que vive e se alimenta do ódio, só porque foi na minha opinião o melhor PM, na era da república.
Não desculpar ninguém, quem sou eu, mas condeno a forma, isso sim.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 23.11.2014 às 14:34

Até comentava mas nos tempos que correm todo o cuidado é pouco parece um "dejavu"
Sem imagem de perfil

De kika a 24.11.2014 às 09:53

Se quer dar uma de chic e se é em francês
experimente" déjà-vu" ficaria muito mais chic. ;-)
Sem imagem de perfil

De ACÁCIO LIMA a 23.11.2014 às 15:27

COMENTÁRIO AO POST “Da prata das palavras e do ouro do silêncio”

01- Anoto a referência, à presença da Sic na detenção, logo da informação prestada, presumivelmente, pelo agente da justiça detentor do processo.

02- Anoto as referências às virtualidades das políticas de Sócrates.

03- Acrescento uma citação de Jurista sobre os quesitos a que deve atender o anúncio das detenções:

“Não basta à PGR anunciar em abstrato os tipos delituais de que Sócrates é suspeito, dando pasto às mais mirabolantes, odientas e assassinas especulações, como está a suceder. É obrigatório saber-se em que tipo concreto de atuações consistem as suspeitas, a que tempo se reportam e nomeadamente se envolvem responsabilidades como governante ou não.
Num Estado de direito, os suspeitos têm pelo menos o direito a não serem expostos a condenação e lapidação sumária em público, antes mesmo de haver acusação”.
http://rpc.twingly.com/


Bom Domingo.
Cordiais e Afáveis
Saudações Democrática e Socialistas

ACÁCIO LIMA

Sem imagem de perfil

De Pedro Fernandes a 23.11.2014 às 19:48

Para começar gostava de saber que raio de segredo é este registado em directo pela SIC. Depois é verdade que se o Sócrates é culpado, o que resta da nossa confiança na política e nos políticos, bem... restará alguma coisa? Mas... se o Sócrates não for culpado, o que resta da nossa confiança na Justica, bem... Vai acabar por não restar nada, a nossa democracia está moribunda, temos todos de reflectir seriamente sobre que País é este, sobre o queremos realmente, que valores são realmente importantes, quem tem sido as pessoas a quem temos oferecido o poder. As nossas chamadas elites políticas estão podres, está tudo corrompido pelos anti valores do chamado poder económico/financeiro, escondem-se e protegem-se por trás do sistema legal que foi elaborado à medida, que é legal sim mas imoral, muito!
E somos nós que o temos permitido.
Sem imagem de perfil

De Jorge a 23.11.2014 às 22:41

Só desejo que o pijama às riscas lhe assente bem por muitos e longos anos. Armani de preferência!

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D

Maria Sofia Magalhães

prosas biblicas 1.jpg

À venda na livraria Ler Devagar



caminho dos ossos.jpg

 

ciclo da pedra.jpg

 À venda na Edita-me e na Wook

 

da sombra que somos.jpg

À venda na Derva Editores e na Wook

 

a luz que se esconde.jpg