Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Defender o Quadrado

Nesta casa serve-se tudo a quente. As cadeiras são de pau e têm as costas direitas. Há sempre pão a cozer e o conforto da desarrumação. A porta está sempre aberta... mas fecha-se rapidamente aos vermes que infestam alguns cantos do quadrado. Sejam

Dos excessos

 

Excessiva é a atenção que estamos a dar (este post é um exemplo) a uma entrevista que, como muitas outras, foi mal conduzida e revelou uma entrevistadora com falta de respeito pelos entrevistados de quem ela não gosta. Uns por motivos políticos, outros por provincianismo, preconceito, populismo e inveja.

 

Quantos cidadãos portugueses que auferem somas astronómicas neste país pobre, em crise e com desigualdades galopantes, futebolistas, empresários, administradores de grandes empresas, banqueiros, etc., que enchem a boca com os sacrifícios que os portugueses devem sofrer, sem fazerem ideia do que é viver com o que receitam, Judite de Sousa teve oportunidade de interpelar sobre a solidariedade e a obrigatoriedade da modéstia?

 

E se Judite de Sousa se entrevistasse a si própria, com o mesmo vigor que usou para Lorenzo Carvalho (de quem não sabia da existência até agora, e que foi magnânimo na resposta)?

 

Excessiva a incompetência, excessiva a falta de assunto.

 

Nota: Honra lhe seja feita.