Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Defender o Quadrado

Nesta casa serve-se tudo a quente. As cadeiras são de pau e têm as costas direitas. Há sempre pão a cozer e o conforto da desarrumação. A porta está sempre aberta... mas fecha-se rapidamente aos vermes que infestam alguns cantos do quadrado. Sejam

Eu é mais bolos

 

Daqui se concluem muitas coisas:

  1. Não percebo nada de nada de política.
  2. Onde eu vi uma oportunidade de se juntarem forças para forçar uma renegociação do memorando, outros viram golpadas do Presidente e fraqueza de António José Seguro.
  3. Depois de uma crise de implosão do governo, após uma decisão de Cavaco, que ressuscitou para uma decisão criativa e original, o Presidente acaba por dizer que, afinal, este governo serve muito bem, até ao fim da legislatura.
  4. O PS é que teve a culpa de não se ter chegado a um acordo, segundo todos os comentadores que opinam.
  5. António José Seguro não teve qualquer apoio nem confiança dentro do próprio partido – de todo o lado vieram recados e ameaças.
  6. O CDS, que queria outro ministro das finanças, que queria menos austeridade, que queria investimento e crescimento, dá o dito por não dito e está de alma e coração com o PSD.
  7. O melhor é dedicar-me à plantação de alfaces.
  8. Continuaremos em marcha depressiva e regressiva, com este maravilhoso, competente, coeso e extraordinário governo de salvação nacional.
  9. O Presidente ficou tão arrependido de se ter manifestado que voltou à contemplação da natureza, dedicando-se agora à ornitologia.

 

2 comentários

Comentar artigo