Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Defender o Quadrado

Nesta casa serve-se tudo a quente. As cadeiras são de pau e têm as costas direitas. Há sempre pão a cozer e o conforto da desarrumação. A porta está sempre aberta... mas fecha-se rapidamente aos vermes que infestam alguns cantos do quadrado. Sejam

Manuel Alegre

Ontem Manuel Alegre apresentou o seu contrato presidencial. Ao contrário do que aconteceu com Mário Soares e Cavaco Silva, não houve posteriores debates de comentadores e analistas políticos.

Por um lado, ainda bem. Assim, são os eleitores que, por si só, avaliam o candidato, sem precisarem que outros lhes expliquem e lhes ensinem o que devem pensar.

Manuel Alegre fez-me sentir orgulhosa de ser portuguesa e de esquerda. Assumiu a sua condição de político, que se candidata a um lugar político. Assumiu a sua condição de poeta e de sonhador. Demonstrou que a ideologia e o afecto podem galvanizar as pessoas, dando-lhes um sentir comum, um objectivo nobre a atingir.

A esquerda ama a pátria e fala no colectivo. É solidária, crítica e exigente, luta pela igualdade de oportunidades.

Votarei em Manuel Alegre, no dia 22 de Janeiro. Espero votar em Manuel Alegre em Fevereiro.

Também eu, à minha maneira, quero defender o meu quadrado, o nosso quadrado.

2 comentários

Comentar artigo