Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Defender o Quadrado

Nesta casa serve-se tudo a quente. As cadeiras são de pau e têm as costas direitas. Há sempre pão a cozer e o conforto da desarrumação. A porta está sempre aberta... mas fecha-se rapidamente aos vermes que infestam alguns cantos do quadrado. Sejam

Estratos

 

 

Amy Casey: Cloud 

 

1.

Empilhei as gavetas da minha existência secreta e muda

laboriosamente resguardada das feridas que continuamente

reabro numa sondagem incessante de rectas perigosamente

curvadas entre as costas dobradas curiosamente revoltas

novelos de ideias obsessivamente inúteis.

 

 

2.

Estratos basais e banais

flores do acaso

sem mais.

 

 

3.

Nada como o intenso azul que mergulha entre as árvores

o imenso marulhar do silêncio entre as mãos

que descansam na tua pele.

 

 

4.

Ainda não aprendemos as palavras despidas

a aridez dos ossos que despontam nos areais das cidades

ainda não crescemos em distância

armados de braços desiguais

usando a cobardia do conforto

por entre a movediça capacidade de moldagem

e flacidez.


3 comentários

Comentar artigo