Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Defender o Quadrado

Nesta casa serve-se tudo a quente. As cadeiras são de pau e têm as costas direitas. Há sempre pão a cozer e o conforto da desarrumação. A porta está sempre aberta... mas fecha-se rapidamente aos vermes que infestam alguns cantos do quadrado. Sejam

Doce de vinagre

 

 

Para adoçar os dias vinagrentos que vivemos, nada melhor que... doce de vinagre.

 

É muito fácil, muito doce e muito bom. Nunca tinha ouvido falar deste doce, fora da minha família mas, numa pesquisa pela internet, li variadíssimas receitas de doces semelhantes. Mas não iguais. Convém aceitarmos que é um doce hipercalórico, cheio de açúcar e que engorda imenso, para que não cortemos nas quantidades e não usemos leite magro, só para que aceitemos melhor o pecado. Pequemos, mas a sério e sem desculpas tolas.

 

Deita-se 1/2 litro de leite gordo (o do dia é melhor) num tacho largo (eu uso sempre tachos grandes, taças grandes, tudo enorme) e põe-se ao lume. Quando levantar fervura deita-se uma colher de chá (ou de sobremesa) de vinagre para cortar o leite e junta-se 1/2 quilo de açúcar. Deixa-se ao lume, mexendo, até fazer ponto de estrada (ao raspar o fundo com uma colher de pau abre-se uma estrada que não se desfaz de imediato). Deixa-se arrefecer e mistura-se, com cautela, as gemas batidas de 1/2 dúzia de ovos. Depois de tudo bem misturado leva-se de novo ao lume brando, mexendo sempre para cozerem as gemas.

 

Apaga-se o lume e deixa-se arrefecer. Batem-se as claras em castelo bem firme e misturam-se com o preparado anterior, quando este já esfriou. Come-se depois de uma passagem pelo frigorífico.

 

É mesmo delicioso. Para não me esquecer das porções lembro-me sempre que é meio de tudo - 1/2 l de leite, 1/2 Kg de açúcar, 1/2 dúzia de ovos.

 

1 comentário

Comentar artigo