Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Das notas que tomamos (1)

por Sofia Loureiro dos Santos, em 22.03.11

 

Algumas conclusões a que podemos chegar perante os acontecimentos:

  1. Aquando da aprovação do OE2011, Cavaco Silva desdobrou-se em conversas e influências para que este fosse aprovado, por causa da estabilidade, da crise económica, enfim, das catástrofes todas que nos vão desabar.
  2. Agora, que os fantasmas do passado, do presente e do futuro nos apontam o apocalipse, Cavaco Silva mantém um esfíngico silêncio, mesmo depois da espantosa ameaça em como, se houvesse segunda volta eleitoral para a Presidência, o país soçobraria.
  3. Durante esta última legislatura, se dúvidas houvesse nalgumas mentes, ficámos com a certeza de que os designados partidos da esquerda, da larga, ampla e grande esquerda de Francisco Louçã, da massa de trabalhadores, operários e camponeses de Jerónimo de Sousa, não só não servem para viabilizar uma solução de governo à esquerda, como estão dispostos a todas as coligações para se afirmarem contra, para se manifestarem do contra, protagonizando coligações negativas que abram a porta a um governo de direita.
  4. José Sócrates é um dos políticos mais determinados e corajosos das últimas décadas. Aquilo que é uma enorme virtude podem transformar-se num terrível defeito ao transpor os limites, cometendo erros infantis e cegos ao não se aperceber que, à sua volta, os ventos e as tempestades já mudaram os pressupostos.
  5. Passos Coelho soube aproveitar o erro do seu adversário, embalado pelos discursos de Sua Presidência, esquecida da indispensabilidade do entendimento entre as forças centrais em bloco. Com a voz que Deus lhe deu, ensaia gorjeios de ave para a esquerda e para a direita. A campanha está em marcha.
  6. De ameaça em ameaça, de crise em crise, estamos vacinados pelo abismo de que nos abeiramos diariamente, já nada nos estremece. Vamo-nos entretendo até às próximas eleições.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:25


7 comentários

Sem imagem de perfil

De ACÁCIO LIMA a 22.03.2011 às 23:24

A isto chama-se "ABRIR O LIVRO NA PÁGINA CERTA".

Boa Noite.
Bom Serão.

ACÁCIO LIMA
Sem imagem de perfil

De paula a 22.03.2011 às 23:33

Concordo com o Acácio, mas na minha talvez ingenuidade, ainda tenho esperança que o bom senso prevaleça. Amanha por esta hora já saberemos.
Até lá.
Sem imagem de perfil

De ACÁCIO LIMA a 23.03.2011 às 00:04

MADAME:

"LES JEUX SONT FAITES".

BONNE NUIT.

ACÁCIO LIMA

PS- EM FRANCÊS PARA EVITAR O NOVO ACORDO ORTOGRÁFICO, E RASGARMOS, NA REFREGA, ESTE PAPEL DA DRª. D. SOFIA LOUREIRO DOS SANTOS!!!!!!!
Sem imagem de perfil

De Manojas a 24.03.2011 às 12:38

Não foi erro, foi pensado e bem pensado. Correu mal? Pois correu, mas podia ter resultado o que teria sido bom. E se tivesse informado antecipadamete o PR e os partidos, tudo teria corrido melhor? Todos diriam que sim ao que disseram que não? Olhe que não, olhe que não! Eu sei que os fins não justificam os meios. Mas sempre, sem excepção? A verdade é que não há regra sem excepção. Ao fim e ao cabo, pensam que se livraram dele (era o grande objectico), mas talvez se enganem. Por mim, espero que sim.
Sem imagem de perfil

De aires bustorff a 23.03.2011 às 10:15

Bom artigo, escalpelizando bem actores destas cenas...

Só, pedia licença para acrescentar, em abono de Socrates, que

politicos tem direito a ser avaliados pelo global da sua acção, não só, por actos individualizados, as vezes mui infelizes...

E este, JS, no seu combate estoico por Portugal no euro e pela Europa, acho ficara nos anais da politica recente,

tal como nos actos de cobardia, mentira, mesmo alguma traição com intervenções apocaliticas, ficara memoria de muita gente ilustre,

que não desdenha insinuar, afirmar nossas dificuldades em momentos em que se joga decisivamente sorte do país

neste ajuste de contas com o Desenvolvimento e a Europa futura, de um pequeno pais acossado pela especulação interna e externa.
Sem imagem de perfil

De verdedacor daesperança a 23.03.2011 às 20:00

Sugiro para as faltas de memória precoces, nomeadamente dos tiques autocráticos de desrespeito pela hierarquia democrátrica, o despiste urgente da doença de Alzheimer.
Há armas terapêuticas que quando usadas precocemente, atrasam bastante a evolução da doença.
Provavelmente será apenas um problema de visão - sugiro, então, a consulta de um oftalmologista competente!
Peça desculpa, mas o clubismo socrático deixou-os a todos cegos?
Chamar erros infantis ao desrespeito pelo Parlamento?!!
Não é o parlamento a instituição mais importante, porque eleita, de um regime democrático?
Sem imagem de perfil

De j azevedo a 24.03.2011 às 20:24

Despeito pelo parlamento? Por não ter comunicado as suas intenções quanto ao Pec? isso foi um grande pretexto para fazerem ruido... Lembra-se o que o parlamento andou a fazer com Sócrates com os inqueritos da TVI e conversas com Armando Vara?Respeito, tem ele quando lá vai de 15 em 15 dias,quando outros iam mensalmente, e com um regulamento parlamentar que lhes dava toda a vantagem? E pelo presidente, o Senhor tem respeito? lamento dizer-lhe mas a maioria não se sente representado por quem fabrica golpes palacianos (escutas) para derrubar o governo em eleiçoes,ou faz discursos de vitoria carregados de ódio para com os adversarios. Deixo ao seu exemplar criterio, a avaliação do discurso da tomada de posse, que levou o pais a este ponto.Cego é o senhor, que não respeita o voto popular, e quem foi eleito duas vezes de uma forma democratica. Quem ganha governa,mesmo que não nos agrade.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2015
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2014
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2013
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2012
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2011
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2010
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2009
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2008
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2007
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D
  235. 2006
  236. J
  237. F
  238. M
  239. A
  240. M
  241. J
  242. J
  243. A
  244. S
  245. O
  246. N
  247. D
  248. 2005
  249. J
  250. F
  251. M
  252. A
  253. M
  254. J
  255. J
  256. A
  257. S
  258. O
  259. N
  260. D

Maria Sofia Magalhães

prosas biblicas 1.jpg

À venda na livraria Ler Devagar



caminho dos ossos.jpg

 

ciclo da pedra.jpg

 À venda na Edita-me e na Wook

 

da sombra que somos.jpg

À venda na Derva Editores e na Wook

 

a luz que se esconde.jpg