Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Fim do Freeport

por Sofia Loureiro dos Santos, em 27.07.10

Sócrates foi totalmente excluído das acusações no caso Freeport - não foi corrompido, não procedeu, enquanto responsável pela pasta do ambiente há mais de 5 anos.

 

Acabou um dos processos que mais utilizados foram para destruir José Sócrates. Finalmente.

 

É bom que a justiça continue, noutros casos, como os do BCP, BPN, Apito Dourado, Face Oculta, etc. Mas o caminho que foi iniciado com o Freeport é de não retorno e somos todos, enquanto cidadãos e enquanto sociedade democrática, que sofremos com isso.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:54


5 comentários

Sem imagem de perfil

De ACÁCIO LIMA a 27.07.2010 às 23:11

COMENTÁRIO AO POST "FIM DA FREEPORT", DE SOFIA LOUREIRO DOS SANTOS, NO BLOG "DEFENDER O QUADRADO"


00- O “Caso Freeport”é emblemático, por ter sido usada a JUSTIÇA, para com ela, ser tentado o prosseguir, noutro Quadro, um Diferendo Político.

01- Apesar das múltiplas pressões de uma parte significativa da Comunicação Social, com destaque para o “Sol”, “Correio da Manhã” e Jornais Gratuitos, a JUSTIÇA, fez o seu caminho.

02- Mas o “Caso Freeport”, no que respeita a José Sócrates, está longe de estar concluido.

03- Resta ainda reflectir, (e agir depois em conformidade), no muito que foi declarado por Dirigentes Políticos, que passaram do campo da Divergência Política, para esgrimirem questões de Carácter, quer fora do Parlamento, mas também usando a Tribuna do Parlamento.

Amistosas, Afáveis e Cordiais Saudações, hoje de regozijo por uma clara afirmação dos preceitos DEMOCRÁTICOS, trespaçando o ESTADO DE DIREITO

ACÁCIO LIMA
Sem imagem de perfil

De o puma a 27.07.2010 às 23:59


Final mente a justiça funcionou

6anos de investigação para um crime
de Estado
e só 2 larápios foram apanhados
a roubar laranjas

Sem imagem de perfil

De jrd a 28.07.2010 às 20:22

Sei que sou um caso raro, não tenho certezas.Mas não posso deixar de me interrogar: Será bom que nos outros casos que citou, a Justiça continue a ilibar como neste?
Imagem de perfil

De Sofia Loureiro dos Santos a 28.07.2010 às 21:20

Em princípio acredito na justiça. Para isso temos MP , tribunais, juízes, advogados, etc. A justiça é má, principalmente por ser lenta. E o problema dessa lentidão é precisamente pessoas como o JRD desconfiarem do resultado deste caso. É muito mais fácil destruir a reputação de alguém do que reabilitá-la. Só que isso vale para todos, inclusivamente para o comum dos cidadãos, como eu ou o JRD .
Sem imagem de perfil

De bettencourt de lima a 28.07.2010 às 22:57

Politica canalha

Assente e aceite, baseada em lugares comuns, engodo fácil para néscios e gente amoral,
está a utilização sistemática da insídia, da calúnia, do vilipêndio para atingir adversários
políticos, vender jornais, gastar horas de televisão e, enquanto dura, promover figuras
públicas, com estatuto de «justiceiros». Algumas pessoas, que, passada a «onda»,
voltam necessariamente à vulgaridade.
São conhecidos os jornalistas, comentadores e pivôs de televisão que alimentam estes
processos.
Cientes das «verdades» insofismáveis de ditados populares como «não há fumo sem
fogo», «quem anda à chuva é que se alaga» etc., e cientes do peso que estes têm
na formação do pensamento dos mais incautos, lá estão eles sempre disponíveis,
pressurosamente disponíveis, para nos dar conta da «riqueza» do seu pensamento
enquanto arrastam a barriga pela lama, numa volúpia irreprimível.
Bom, assim é, assim será. Agora, o que não se pode esquecer e perdoar é uma
campanha política para as eleições europeias e legislativas conduzida na base
destas «técnicas» e que teve como protagonistas a anterior direcção do PSD, presidida
por Manuela Ferreira Leite e assessorada por Pacheco Pereira.

Politica canalha.

Para memória futura.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D

Maria Sofia Magalhães

prosas biblicas 1.jpg

À venda na livraria Ler Devagar



caminho dos ossos.jpg

 

ciclo da pedra.jpg

 À venda na Edita-me e na Wook

 

da sombra que somos.jpg

À venda na Derva Editores e na Wook

 

a luz que se esconde.jpg