Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



A derrota do Presidente

por Sofia Loureiro dos Santos, em 29.12.08

A maior parte dos comentadores olha para a situação criada pelo conflito entre o Presidente e a Assembleia da República como um braço de ferro alimentado por Sócrates e pelo PS, não se sabe exactamente com que objectivo.

 

Como já aqui defendi, eu penso exactamente o contrário. Houve uma aposta política de Cavaco Silva que resolveu, a propósito da aprovação do Estatuto Político-Administrativo da Região Autónoma dos Açores, independentemente das razões que lhe possam assistir, criar um incidente institucional, querendo forçar a Assembleia da República a rever uma lei que tinha sido aprovada por unanimidade. Não tendo pedido a fiscalização do artigo que motivou o veto político, Cavaco Silva arriscou e perdeu.

 

Perdeu não por causa de Sócrates e do PS. Perdeu por causa de toda a Assembleia da República. Os partidos com representação parlamentar, embora protestando o seu acordo com o Presidente, votaram outra vez favoravelmente o Estatuto, com excepção do PSD. Este , com a incrível falta de credibilidade e de senso a que nos tem habituado, falou muito, muito, muito, a favor do Sr. Presidente, que tinha toda a razão, mas absteve-se na votação e deu liberdade de voto para votar a favor, mas não contra.

 

Ou seja, Cavaco Silva jogou politicamente e perdeu. Ao dramatizar a situação como o fez, na primeira comunicação e nesta última, falando inclusivamente do irregular funcionamento das Instituições, de grave revés para a democracia, de falta de lealdade institucional, e não tendo levado até ao fim essa posição com a dissolução da Assembleia da República, o Presidente prestou um mau serviço ao país.

 

Adenda: não deixa de ser interessante o afã de Santana Lopes em comentar...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:57


10 comentários

Sem imagem de perfil

De António P. a 30.12.2008 às 00:22

Boa nooite Sofia,
No fim do discurso do Presidente esta noite dei por mim, na minha solidão alentejana, a pensar exactamente o mesmo do que escreve neste belo post.
Acho que tem razão, nomeadamente no ponto de qual o objectivo da eventual guerra que alguns dizem que o PS queria comprar.
Cumprimentos
Sem imagem de perfil

De escrevinhadora a 30.12.2008 às 12:23

Concordo consigo e parece-me que Cavaco é transparente: o que ele quer é um sistema presidencialista, ponto final.
Sem imagem de perfil

De jrd a 30.12.2008 às 15:35

Os Açores já foram descobertos há muito por um tal Gonçalo Velho (?).
Cavaco vai ter de mudar de águas se quiser comprar uma batalha naval com vista às próximas eleições.
Sem imagem de perfil

De Ricardo S a 30.12.2008 às 16:20

Não podia estar mais de acordo, cara Sofia.
Subscrevo na integra.
Cumprimentos e boas entradas.
Sem imagem de perfil

De lino a 30.12.2008 às 18:57

Excelente posta! Totalmente de acordo.
Sem imagem de perfil

De Quintanilha a 30.12.2008 às 19:15

Concordo plenamente consigo. A legitimidade da Assembleia da República é tanta ou maior que a do Presidente da República. O que quer o homem?
Penso que, se existe algum "braço-de-ferro" ao Presidente Cavaco Silva se deve.
Uma caixa de Kompensan para o nosso Presidente se faz favor!
Agora falta a vingança. Ela aparecerá, ou não conheça eu os algarvios!
Sem imagem de perfil

De Quintanilha a 30.12.2008 às 19:22

Mais ainda: Na hipótese de dissolução da Assembleia da República, defendida por alguns, se o Eng. Sócrates viesse a ganhar de novo as eleições, o que era muito provável que acontecesse, qual o papel do Presidente Cavaco Silva? Não teria ele que se demitir?
Porque é que os comentadores pa praça ainda não se lembraram de explorar este tema?
Ou será que não dá jeito?

Sabe qual é a minha opinião? Cavaco Silva irá ser o primeiro Presidente a não fazer um segundo mandato.
Sem imagem de perfil

De Exsocialista a 31.12.2008 às 14:36

Não sendo um apreciador de Cavaco, acho que esta comunicação foi direitinha para o não Eng. Sócrates(recordo que nem a Ordem o reconheceu)trata-se de uma zanga de comadres ou talvez mais de dois galos a disputarem o galinheiro que é Portugal, pobre País. Bom 2009 a todos que aqui vêm particularmente para a Sofia
Sem imagem de perfil

De Quintanilha a 01.01.2009 às 12:29

Cavaco Silva convive mal com a democracia. O "servente de pedreiro" Sócrates (já que o xôr está tão incomodado com o título da criatura) pouco tem a ver com o assunto. O documento foi aprovado por maioria na Assembleia da República que tem tanta ou mais legitimidade para o fazer que o Presidente Cavaco. A vontade política e pessoal de Cavaco Silva não se pode sobrepôr a uma assembleia da República.
Parece que o homem ainda não entendeu isto!
Então ele que tenha a coragem de dissolver a Assembleia e vai ver o que lhe acontece!
Imagem de perfil

De Sofia Loureiro dos Santos a 31.12.2008 às 19:10

Obrigada a todos pelos comentários. Bom 2009, que deverá ser um interessante ano, pelo menos em termos políticos.

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2022
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2021
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2020
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2019
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2018
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2017
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2016
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2015
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2014
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2013
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2012
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2011
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2010
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2009
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2008
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2007
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2006
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D
  222. 2005
  223. J
  224. F
  225. M
  226. A
  227. M
  228. J
  229. J
  230. A
  231. S
  232. O
  233. N
  234. D

Maria Sofia Magalhães

prosas biblicas 1.jpg

À venda na livraria Ler Devagar



caminho dos ossos.jpg

 

ciclo da pedra.jpg

 À venda na Edita-me e na Wook

 

da sombra que somos.jpg

À venda na Derva Editores e na Wook

 

a luz que se esconde.jpg