Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



O álibi

por Sofia Loureiro dos Santos, em 26.10.08

A crise financeira e a consequente crise económica estão a servir de álibi para todas as forças sociais, à esquerda e à direita.

 

O PS desculpa-se com a crise financeira para justificar o não cumprimento de metas que se tinha imposto na legislatura. Por muito que o contexto internacional seja mais desfavorável que o que se previa há 3 anos, isso não desculpa tudo, como é óbvio.

 

O PSD usa a crise financeira para justificar a sua opinião recente (porque quando estava no governo era diferente) em relação à suspensão das obras públicas, que já vinha sustentando praticamente desde que é oposição.

 

Mas também a CCP usa a crise financeira para pedir uma renegociação do aumento do ordenado mínimo nacional, estimado para €450! É absolutamente escandaloso estarmos a discutir o aumento do salário mínimo que é vergonhosamente insuficiente para viver.

 

A crise não pode justificar pedidos de aumentos salariais mínimos de 3,5%, por muito que nos penalize a perda do poder de compra que, continuamente, os mesmos sofrem. Mas o que não pode mesmo estar em causa é a aproximação do valor dos ordenados mais baixos, nomeadamente do salário mínimo, a um valor minimamente razoável. E mesmo os €500 previstos para 2011 é muitíssimo pouco!

 

Não se percebe este tipo de raciocínio. Ou seja, percebe-se, mas é revoltante. A crise e a pobreza não se resolvem à custa do regresso do trabalho de escravo.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:38


4 comentários

Sem imagem de perfil

De antonio m p a 29.10.2008 às 02:55

É com prazer que subscrevo inteiramente as suas palavras neste "post". Não digo "com surpresa" porque apesar de divergir nas estratégias, algumas vezes, percebo que há convergências de caracter que se sobrepõem, que se impõem. E o caracter acaba por determinar o que é deveras importante - o lado da barricada que se escolhe quando a discussão, às vezes ociosa, descamba para a guerra - passe a linguagem militar.
Imagem de perfil

De Sofia Loureiro dos Santos a 29.10.2008 às 22:03

antonio m p, a defesa da dignidade e do mínimo de remuneração, da melhoria de qualidade de vida para quem tem mais dificuldades é uma questão de decência. É isso que falta a muita gente.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 02.11.2008 às 10:23

eu por acaso até acho que o ordenado mínimo devia ser o meu, de licenciada que é de 980 euros, 12 anos de serviço na função pública. Lembro apenas, que para empresas que facturam mais ou menos 30 mil euros por ano um aumento de 50 euros num ordenado miserável, tem um aumentos nos custos de 100 mensais, pk se multiplica por 14 mais os aumentos consequentes da segurança social, seguros etc. 100 euros vezes 14 meses são 1400 euros, dá mais ou menos 5% da facturação de uma PME em Portugal . Lembro ainda que algumas delas, com estes mesmos valores absolutos de aumento de despesa facturam 20 mil euros o que dá um valor de ?

É importante conhecer a realidade deste País sem ser sentada na secretária.

Desculpe o abuso, mas ser-se bondoso á toa é tonteria ". Como é tonto o outro que diz que boicota, meia dúzia de euros por mês.

Mais uma vez, desculpe abuso, bom fds .
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

eu por acaso até acho que o ordenado mínimo devia ser o meu, de licenciada que é de 980 euros, 12 anos de serviço na função pública. Lembro apenas, que para empresas que facturam mais ou menos 30 mil euros por ano um aumento de 50 euros num ordenado miserável, tem um aumentos nos custos de 100 mensais, pk se multiplica por 14 mais os aumentos consequentes da segurança social, seguros etc. 100 euros vezes 14 meses são 1400 euros, dá mais ou menos 5% da facturação de uma PME em Portugal . Lembro ainda que algumas delas, com estes mesmos valores absolutos de aumento de despesa facturam 20 mil euros o que dá um valor de ? <BR><BR>É importante conhecer a realidade deste País sem ser sentada na secretária. <BR><BR>Desculpe o abuso, mas ser-se bondoso á toa é tonteria ". Como é tonto o outro que diz que boicota, meia dúzia de euros por mês. <BR><BR>Mais uma vez, desculpe abuso, bom fds . <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>cs</A>
Imagem de perfil

De Sofia Loureiro dos Santos a 02.11.2008 às 22:59

Não tem que pedir desculpa se a intenção não é insultar.
É verdade que conheço pouco a realidade das PME em Portugal. Este aumento foi combinado em sede de concertação social, de forma faseada, até atingir 500 euros em 2011. Se calhar deveria haver outro tipo de medidas que apoiem as PME, mas não à custa de uma manutenção de ordenados mínimos tão baixos .

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2006
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D
  209. 2005
  210. J
  211. F
  212. M
  213. A
  214. M
  215. J
  216. J
  217. A
  218. S
  219. O
  220. N
  221. D

Maria Sofia Magalhães

prosas biblicas 1.jpg

À venda na livraria Ler Devagar



caminho dos ossos.jpg

 

ciclo da pedra.jpg

 À venda na Edita-me e na Wook

 

da sombra que somos.jpg

À venda na Derva Editores e na Wook

 

a luz que se esconde.jpg