Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Inutilidades triviais

por Sofia Loureiro dos Santos, em 29.05.08

Não me tem apetecido participar nesta voracidade alarmista dos combustíveis, dos bens alimentares, das desigualdades, da pobreza, da catástrofe que aí vem, dos avisos do pai Soares, da rebeldia do pai Alegre, de tanta retórica e de tanto falatório manipulado e manipulador, mas sobretudo inútil e trivial.

 

Todas estas realidades que existem, infelizmente, desde há anos e anos, com governos de direita e de esquerda, estão repentinamente na boca de todos os candidatos, de todos os governantes, mas principalmente dos ex-governantes, que no entretanto conviveram pacificamente com este fenómeno, abanando a cabeça com seriedade e muita preocupação.

 

Vamo-nos embrulhando com as quezílias requentadas do PSD, com os comentários delirantes dos comentadores, com as promessas tonitruantes do nosso Primeiro.

 

O que vale é que ainda vai havendo arroz, mesmo com o preço a subir, para regressar ao preço a que já esteve, há anos, embora ninguém aparentemente se espante com a carestia dos cereais nessa época. E de vez em quando umas investida da ASAE, para que o nosso defensor mor Paulo Portas clame por justiça aos produtos artesanais, nossos, só nossos e nunca melhores do que sem regras. Esses é que são os genuínos, os que ele consome, obviamente.

 

Adenda: vale a pena ler o post de Fernanda Câncio: pobre portugal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:39


5 comentários

Sem imagem de perfil

De jrd a 30.05.2008 às 11:44

Concordo com o que escreveu, mas não consigo deixar de me interrogar se, aqui e agora, existe algo mais do que aquilo a que chama e bem, de inutilidades triviais.
Imagem de perfil

De Sofia Loureiro dos Santos a 30.05.2008 às 12:13

JRD , há muito mais do que isso, mas não protagonizado por quem tem responsabilidades. As movimentações sociais e o descontentamento são reais e têm causas profundas. Mas estar a ouvir as mesmas pessoas dizerem as mesmas coisas com que sempre conviveram sem qualquer ideia concreta para as resolver é trivial e inútil.
Imagem de perfil

De Transdisciplinar a 30.05.2008 às 17:03

Tem razão : é trivial e inútil. (preceito búdico : evitar as palavras fúteis...)
:)
Imagem de perfil

De realidadesreais a 31.05.2008 às 03:06

gasolina aumentar, tudo a subir e de dia para dia se ve mais miseria mental e suja. Agora nas estações de serviço é um centro de negocios só para homens que se dedicam á pratica de prostituição gay, para fazer face a uma economia em decrescimento. Pena de quem pensa, que pode descansar e fazer uma pausa da viagem, e julgar que o local é ideal. mas enfim tempos dificeis de uma sociedade em queda . Optima reportagem para abrir telejornais, pensem. Estações de aguas Santas (Ermesinde). Eu pago portagens mas não para isto.
Imagem de perfil

De Sofia Loureiro dos Santos a 31.05.2008 às 12:40

As dificuldades são inúmeras e o combate à pobreza deve aumentar. Mas há uma enorme manipulação dos dados para... quê?

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D

Maria Sofia Magalhães

prosas biblicas 1.jpg

À venda na livraria Ler Devagar



caminho dos ossos.jpg

 

ciclo da pedra.jpg

 À venda na Edita-me e na Wook

 

da sombra que somos.jpg

À venda na Derva Editores e na Wook

 

a luz que se esconde.jpg