Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Defender o Quadrado

Nesta casa serve-se tudo a quente. As cadeiras são de pau e têm as costas direitas. Há sempre pão a cozer e o conforto da desarrumação. A porta está sempre aberta... mas fecha-se rapidamente aos vermes que infestam alguns cantos do quadrado. Sejam

As árvores


As árvores,
solitário abandono
dos desejos,
esperam ao crepúsculo,
que alguma asa
as acaricie.
Voraz, na rapidez
da paisagem,
o murmúrio do silêncio.

(fotografia de Hugo Madeira)

As buscas, com a consequente apreensão de material na sede do jornal “24 horas”, embora arrepie os cabelos, mesmo sem se saber porquê, não pode ser comparável à coarctação da liberdade de expressão.

Apesar de todos os atropelos, quero acreditar que estamos num estado de direito, e que foram mandados judiciais que, no âmbito de uma investigação e dentro da lei, permitiram as referidas buscas, e que todo o material apreendido será tratado, mais uma vez, de acordo com a lei.

Na verdade, ninguém deve estar acima da lei. Infelizmente, os precedentes não são de molde a tranquilizar-nos. Está tudo muito mal explicado e agrava-se a desconfiança no nosso sistema judicial.

Hoje comprei “A velocidade da luz”, o último livro de Javier Cercas publicado entre nós. Li “Soldados de Salamina” de uma assentada e gostei muito. Já “O inquilino” não me deixou grandes saudades. Vamos ver. O tempo convida a ler, enrolada numa manta, com uma chávena de chá ao lado. Boa vida!

Comentar:

CorretorMais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.