Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]



25 de Abril

por Sofia Loureiro dos Santos, em 25.04.08

 

Já passaram 34 anos desde o 25 de Abril e a nossa democracia é uma realidade. Tem defeitos? Pois tem, defeitos de uma sociedade que é feita por pessoas, que vive e se transforma diariamente.

Era uma miúda em 1974 mas absorvi aqueles tempos como uma esponja e a alegria, o voluntarismo, o optimismo, a irrealidade que se vive nos sonhos tocou-me profundamente. Não há nada que se consiga sem a ingenuidade e a utopia de quem começa. E o país começou, ou recomeçou muita coisa.

O coro de vozes soturnas e azedas que se lamentam todos os anos e que vaticinam o pior para o que há-de vir é cansativo e enervante. Só quem não quer ver é que pode sequer comparar a qualidade de vida, o desenvolvimento económico, a prosperidade de Portugal antes e depois do 25 de Abril.

Ao fim de 3 décadas muito mudou e muito há para mudar. A celebração deste dia renova-nos a esperança pois podemos ter a certeza de que a democracia, o bem-estar e a liberdade são possíveis, são alcançáveis e estão nas nossas mãos.

Que se façam sessões solenes na Assembleia da República, que se façam manifestações e marchas, que se façam concertos, exposições, piqueniques, manhãs de praia ou na cama, que cada um celebre o dia à sua medida, nunca esquecendo que desconhecer o passado é comprometer o futuro.

Este é um dia de festa para todos. Não há mais ou menos democratas, não há melhores ou piores herdeiros da revolução. Somos todos filhos da madrugada.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:27


7 comentários

Sem imagem de perfil

De mariadosol a 25.04.2008 às 14:22

(ups... enganei-me no nome) desculpe.
Mais um :) de Abril
Sem imagem de perfil

De jrd a 25.04.2008 às 17:49

Tem razão, há por aí espalhada alguma miopia -forçada. Mas cuidado, que nem todos são filhos da madrugada, alguns são enteados e não mereciam.
Um abraço e um cravo
Sem imagem de perfil

De JF a 25.04.2008 às 19:08

"Este é um dia de festa para todos. Não há mais ou menos democratas, não há melhores ou piores herdeiros da revolução. Somos todos filhos da madrugada."

Se houvesse, Sofia, gente igual por dentro e por fora, por certo aperceber-nos-íamos não serem todos "filhos da madrugada".
Sem imagem de perfil

De José Manuel Dias a 25.04.2008 às 19:24

Uma homenagem plenamente justificada! Se o 25 de Abril tivesse sido mais cedo estaríamos hoje seguramente melhor. Bjs
Imagem de perfil

De Transdisciplinar a 25.04.2008 às 23:51

Hoje não é dia para discutir. Aceite um lindo cravo !
Imagem de perfil

De umbreveolhar a 26.04.2008 às 15:11

Não poderia estar mais de acordo com o que li. É caso para dizer: que faço minhas as suas palavras. Gostei muito e continue assim.
Entretanto já li o seu post seguinte. E então digo que já era tempo da televisão, neste caso a RTP1, mostrar aquilo que vale! Foi dos melhores programas que vi durante mais de 4 horas, recordando os cantores e poetas nacionais e estrangeiros, que me encheram de extraordinária alegria. Bem sei, que a Associação do 25 de Abril, comemorava os 25 anos, cujo Presidente é o Vasco Lourenço.
Mas foi o melhor programa que vi nos últimos tempos, como disse!

Vivam também as canções de Abril e seus protagonistas!

Cumprimentos,
Carlos Alberto Borges

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor



Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.




Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2006
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D
  196. 2005
  197. J
  198. F
  199. M
  200. A
  201. M
  202. J
  203. J
  204. A
  205. S
  206. O
  207. N
  208. D

Maria Sofia Magalhães

prosas biblicas 1.jpg

À venda na livraria Ler Devagar



caminho dos ossos.jpg

 

ciclo da pedra.jpg

 À venda na Edita-me e na Wook

 

da sombra que somos.jpg

À venda na Derva Editores e na Wook

 

a luz que se esconde.jpg